fbpx
WEE1’E32
1R24T1T3TY •

Os Erros Refrativos e o impacto nas crianças

Os Erros Refrativos e o impacto nas crianças
28 de março de 2018

Passado o Carnaval, é hora de retomar as atividades normais do ano. Muitas crianças já estavam em aulas antes do recesso carnavalesco, outras vão retomar os estudos agora. Mas há algo que os pais precisam saber para que as crianças tenham um bom rendimento escolar: cuidar da visão das crianças é fundamental para que elas tenham um bom aprendizado.

O bom rendimento escolar das crianças e jovens tem relação direta com a boa visão. A relação pode ser explicada da seguinte forma: enxergando bem, o interesse pelas matérias estudadas tende a se manter elevado, o foco e atenção ficam direcionados nos estudos e os assuntos são melhor absorvidos durante as aulas – o que provoca impacto direto no boletim de final de ano.

A queda no rendimento escolar pode ser explicada por algo complexos, como distúrbios de atenção ou hiperatividade, mas muitas vezes pode ser algo mais simples, como a queda na qualidade da visão. Os erros refrativosMiopia, Hipermetropia e Astigmatismo – são as 3 doenças oculares mais comuns em crianças e jovens em fase escolar. Estima-se que 1 em cada 5 crianças apresentem alguma destas doenças já nos primeiros anos da vida acadêmica.

O que são os Erros Refrativos

Os erros refrativos são alterações das estruturas oculares, que atrapalham o processo completo da visão. Eles não são graves mas, quando não tratados, afetam muito a qualidade de vida.

Um olho normal apresenta principalmente duas características que são fundamentais para enxergar bem: globo ocular de tamanho proporcional e curvatura da córnea apropriada. Quando uma destas estruturas apresenta alguma distorção, temos os erros refrativos – também conhecidos como Miopia, Hipermetropia e Astigmatismo.

 

Miopia

É o erro refrativo de maior incidência em todo o mundo. Sua principal característica é prejudicar a visão dos objetos a longa distância (visão de longe), deixando-os desfocados e difíceis de identificar. A Miopia pode ser provocada pelo tamanho maior do globo ocular do paciente (diâmetro axial alongado), o que faz com que a córnea e a retina fiquem mais distantes entre si, ou pela córnea mais curva do que o necessário. Por causa disso, os feixes de luz que passam pela córnea acham seu ponto de foco antes de chegar à retina, acarretando na baixa acuidade visual para longe.

Estima-se que atualmente um sexto da população mundial já seja míope, entretanto essa incidência vem aumentando exponencialmente, havendo projeção que em apenas 30 anos metade da população mundial seja míope, portanto podemos afirmar que está havendo uma epidemia mundial de miopia. O fator explicativo é basicamente a mudança no estilo de vida com uso cada vez mais frequente e mais cedo de eletrônicos e menos atividades ao ar livre.

 

Confira a reportagem realizada com o Dr. Michel Rubin a Record sobre a epidemia de Miopia.

O olho naturalmente tentará fazer o ajuste do ponto de foco das imagens, e fará um esforço muito grande para levar as imagens até a retina – fazendo o míope quase fechar os olhos para tentar enxergar. A Miopia, no caso das crianças e jovens em fase escolar, pode atrapalhar muito a visão. Por não conseguirem enxergar muito bem, é normal que o interesse diminua e a atenção seja desviada para outros assuntos.

Este erro refrativo pode apresentar sintomas como dores de cabeça e fadiga ocular, resultantes do esforço aplicado, além de pestanejamento constante.

 

Hipermetropia

Em uma primeira leitura, a Hipermetropia é basicamente o oposto da Miopia, prejudicando muito mais a visão para perto, deixando os objetos próximos distorcidos e embaçados. As causas para a presença deste erro refrativo estão no tamanho um pouco menor do globo ocular (diâmetro axial curto), que aproxima mais córnea da retina do que o esperado, e pela córnea com menor curvatura. Por causa disso, o ponto de foco das imagens acontece atrás da retina, provocando a baixa acuidade visual principalmente para perto.

A visão para perto é essencial para que as crianças e jovens possam ler e escrever durante os estudos – em sala de aula ou em casa. Quando esta visão é prejudicada pela Hipermetropia, o foco é rapidamente desviado para outros pontos de interesse, gerando impacto negativo no rendimento escolar.

Assim como acontece na Miopia, o olho, de forma natural e espontânea, fará esforço para acomodar o ponto de foco das imagens. Crianças costumam ter grande capacidade de compensação de grau e muitas vezes têm boa visão as custas de grande esforço acomodativo, com consequente dor de cabeça e cansaço visual. Portanto boa visão não é necessariamente igual a ausência de necessidade no uso de óculos.

 

Astigmatismo

O Astigmatismo é o erro de refração que distorce a visão para perto e para longe, deixando os objetos borrados e sem nitidez. A causa do astigmatismo está na córnea com maior curvatura em um meridiano em comparação a outro, fazendo com que os feixes de luz sejam projetados em pontos múltiplos da retina e desfocando a visão. É bastante comum que o astigmatismo ocorra junto à Miopia ou à Hipermetropia.

Uma criança ou jovem astigmata apresenta maior dificuldade de concentração e atenção aos estudos, pois o esforço ocular para balancear a visão é constante e cansativo. Os sintomas mais comuns do Astigmatismo são dores de cabeça, cansaço e fadiga ocular, vermelhidão e irritação dos olhos.

Como tratar os Erros Refrativos

A melhor maneira de corrigir a visão dos estudantes é através do uso de óculos. As lentes têm a função de corrigir o ponto de foco das imagens, fazendo com que passe a ser projetado diretamente sobre a retina com consequente melhora da qualidade visual.

O tipo de lente a ser usada depende do erro refrativo que precisa ser corrigido. As lentes de correção de Miopia são conhecidas como negativas ou divergentes – apresentam base maior do que o centro, para que o ponto de foco seja deslocado para trás. Já a correção da Hipermetropia usa lentes positivas ou convergentes, tendo o centro mais espesso que as bordas e forçando o ponto de foco para frente. O astigmatismo, por sua vez, pode usar lentes planas ou cilíndricas, dependendo do erro refrativo que o acompanha (Miopia ou Hipermetropia).

Conheça a Nova Unidade Juvevê

Cuidar da saúde das crianças e jovens é fundamental para que eles tenham um bom desempenho escolar. O check up oftalmológico de início de ano pode identificar se os estudantes estão enxergando bem. Além disso, verificamos outras condições, como o estrabismo, que pode estar presentes em crianças e se não diagnosticadas e tratadas até por volta dos 08 anos de idade, pode levar a um problema visual permanente. Embora menos frequentes, também existem doenças graves que podem acometer a visão de bebês e crianças, como tumores oculares, catarata e glaucoma congênito. Nestas situações o diagnóstico é fundamental para um tratamento precoce adequado.

Portanto, o ideal é que leve seu filho para uma avaliação oftalmológica já a partir do nascimento e caso não haja nenhuma doença ocular, retorne a cada 02 anos, ou havendo algum sintoma, de imediato, pois com o crescimento acentuado na idade escolar é frequente o surgimento de alterações que podem afetar a qualidade visual.

Agende já a consulta de rotina na nova unidade da CEVIPA no bairro de Juvevê, e tire todas as suas dúvidas com nossa equipe.

agendar-consulta-cevipa

 

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a nossa equipe de atendimento pelo telefone (41) 3029-0099, pelo WhatsApp (41) 9-9175-3138 ou pela central de atendimento em nosso site.
Postado em Blog por cevipa | Tags: , , ,
Bem vindo a Cevipa Oftalmologia!
Como podemos lhe ajudar?
Powered by