OLHO SECO

OLHO SECO
1 de agosto de 2014

O olho seco costuma causar incomodo e irritação ocular frequente, pode ter diferentes origens e formas de tratamento. Dr. Michel Rubin, médico oftalmologista da CEVIPA com formação na Santa Casa de São Paulo e Universidade da California de San Francisco, esclarece dúvidas frequentes sobre o olho seco.

Caso tenha qualquer dúvida, não hesite em nos contactar, através do e-mail: atendimento@cevipa.com.br ou pelo telefone (41) 3029.0099.

olho-seco-01

O QUE É LÁGRIMA E QUAL SUA FUNÇÃO?

Os olhos precisam das lágrimas para manterem-se hidratados, com uma boa visão e com conforto. A lubrificação ocular depende da quantidade e também qualidade da lágrima produzida.

A lágrima contém diversas estruturas com variadas funções como água, sais minerais, complexos imunológicos para resistir a infecção, proteínas, oléos para lubrificação e estabilização da lágrima, muco para tornar a parte superficial da córnea mais ligada a água, dentre outras.

olho-seco-02

QUAIS OS SINTOMAS DE OLHO SECO?

Quando as lágrimas não lubrificam os olhos adequadamente, pode haver:

  • Desconforto a leitura, uso de computador e a ambientes com ar condicionado.
  • Sensibilidade a luz
  • Sensação de corpo estranho
  • Vermelhidão
  • Visão borrada
  • Acúmulo de secreção

olho-seco-03

FUI DIAGNOSTICADO COM OLHO SECO MAS AS VEZES LACRIMEJO MUITO. POR QUE ISSO ACONTECE?

Uma pessoa com olho seco pode ter lacrimejamento excessivo, o que pode parecer confuso. Isso acontece como uma tentativa de nosso corpo para compensar o olho seco, produzindo excessivamente uma lágrima composta basicamente por água, que não cumpre a função de lubrificar adequadamente os olhos, mantendo os sintomas de olho seco.

QUAIS OS TESTES PARA DIAGNÓSTICO DE OLHO SECO?

Além da avaliação clínica há uma série de testes que além do diagnóstico, ajuda na determinação do tipo de olho seco. Isso é importante, já que as causas e tratamentos podem variar.

Os principais testes são: avaliação biomicroscópico, tempo de ruptura do filme lacrimal, teste de Schirmer, lisamina verde, rosa bengala, dentro outros.

PODE HAVER ALGUMA CAUSA NÃO OCULAR DE OLHO SECO?

Há alterações dermatológicas e reumatológicas que podem causar olho seco. Neste caso o tratamento ocular deve ser realizado em conjunto com médico dermatologista e reumatologista. Pode ser necessário exames específicos para diagnóstico.

QUAIS OS TIPO DE OLHO SECO?

Basicamente o olho seco pode ser:

  • EVAPORATIVO: Há produção normal das lágrimas, mas esta não fica em contato, o tempo adequado com a córnea, não cumprindo idealmente sua função de lubrificação.
  • DEFICIÊNCIA DE PRODUÇÃO: A quantidade de lágrima produzida é inferior ao normal.
  • MISTA: Há diminuição na produção e uma evaporação mais precoce das lágrimas.

QUAIS AS CAUSAS DE OLHO SECO?

As causas são muito variadas. O próprio efeito do envelhecimento, especialmente em mulheres com a menopausa, pode desencadear alterações hormonais que predispões ao aparecimento do olho seco. Uso de lentes de contato, alterações ambientais como clima seco, vento ou mesmo ambientes com ar condicionado, medicações como anti- alérgicos e para acne e alterações na posição da pálpebra podem causar olho seco.

Algumas doenças associadas também podem ser a causa de olho seco, inflamação nas margens das pálpebras causada pela blefarite e meibomite, algumas doenças dermatológicas como a rosácea, diversas doenças reumatológicas como a artrite reumatóide, lupus, Sd. de Sjogren, dentre diversas outras.

É essencial avaliar o tipo de olho seco de cada paciente, direcionando a investigação da causa e possibilitando o correto tratamento, já que há diferentes tipos e causas de olho seco e o tratamento pode ser bem variado.

QUAIS AS POSSIBILIDADES DE TRATAMENTO PARA  OLHO SECO?

O tratamento é muito variado e depende da causa, pode incluir:

  • Orientações para aumentar a freqüência de piscar, aumentar a umidade relativa do ar, evitar exposição direta e prolongada ao ar condicionado, dentre outras.
  • Uso de lubrificantes, quando em alta freqüência sem conservantes, já que o próprio conservante pode ser responsável por irritação ocular secundária. Lubrificantes a base de óleo quando há falta na estabilização das lágrimas.olho-seco-04
  • Aplicação de gel, que fica em contato com os olhos por tempo mais prolongado que os colírios lubrificantes.
  • Uso de tratamento imunossupressor como a ciclosporina (restasis) que pode estimular a produção de lágrimas quando esta se apresenta suprimida.
  • Derivados da tetraciclinas em baixas doses podem ter um efeito anti inflamatório e costumam ser bem tolerados.
  • Aplicação de plug temporário de colágeno ou silicone em 02 ou 4 pontos lacrimais. Com a oclusão dos pontos lacrimais, que fazem a drenagem da lagrima, esta passa a apresentar maior acúmulo nos olhos, diminuindo o olho seco.

olho-seco-05

  • Fechamento definitivo dos pontos lacrimais. Em processos crônicos e irreversíveis de olho seco, os pontos lacrimais podem ser ocluídos definitivamente.
  • Tratamentos de doenças bases como dermatológicas e reumatológicas que estão associadas ao olho seco. Cabe ao oftalmologista, realizar a suspeição e encaminhar para um screening de determinada especialidade.
  • Interrupção de medicações que possam estar contribuindo com o olho seco.

Assista o vídeo abaixo e confira mais informações:

18194134_1710546678961780_3671618349143095638_n

Entrevista sobre olho seco com Dr. Michel Rubin na Rede Record

Se você tem olho seco e deseja uma avaliação, agende sua consulta conosco!

 

Postado em Blog por cevipa